quinta-feira, 16 de junho de 2011

TRANSPORTE DE PETRÓLEO E SEUS DERIVADOS

O QUE É O PETRÓLEO ?

O petróleo é uma substância oleosa, inflamável, menos densa que a água, com cheiro característico e de cor variando entre o negro e o castanho escuro.

Embora objeto de muitas discussões no passado, hoje tem-se como certa a sua origem orgânica, sendo uma combinação de moléculas de carbono e hidrogênio.

Admite-se que esta origem esteja ligada à decomposição dos seres que compõem o plâncton - organismos em suspensão nas águas doces ou salgadas tais como protozoários, celenterados e outros - causada pela pouca oxigenação e pela ação de bactérias.

Estes seres decompostos foram, ao longo de milhões de anos, se acumulando no fundo dos mares e dos lagos, sendo pressionados pelos movimentos da crosta terrestre e transformaram-se na substância oleosa que é o petróleo.Ao contrário do que se pensa, o petróleo não permanece na rocha que foi gerado - a rocha matriz - mas desloca-se até encontrar um terreno apropriado para se concentrar.
Estes terrenos são denominados bacias sedimentares, formadas por camadas ou lençóis porosos de areia, arenitos ou calcários. O petróleo aloja-se ali, ocupando os poros rochosos como forma "lagos". Ele acumula-se, formando jazidas. Ali são encontrados o gás natural, na parte mais alta, e petróleo e água nas mais baixas.

A EXPLORAÇÃO DO PETRÓLEO

A reconstrução da história geológica de uma área, através da observação de rochas e formações rochosas, determina a probabilidade da ocorrência de rochas reservatório.

A utilização de medições gravimétricas, magnéticas e sísmicas, permitem o mapeamento das estruturas rochosas e composições do subsolo. A definição do local com maior probabilidade de um acúmulo de óleo e gás é baseada na sinergia entre a Geologia, a Geofísica e a Geoquímica, destacando-se a área de Geo-Engenharia de Reservatórios.

O TRANSPORTE DE PETRÓLEO

Pelo fato dos campos petrolíferos não serem localizados, necessariamente, próximos dos terminais e refinarias de óleo e gás, é necessário o transporte da produção através de embarcações, caminhões, vagões, ou tubulações (oleodutos e gasodutos).

O REFINO DE PETRÓLEO
Apesar da separação da água, óleo, gás e sólidos produzidos, ocorrer em estações ou na própria unidade de produção, é necessário o processamento e refino da mistura de hidrocarbonetos proveniente da rocha reservatório, para a obtenção dos componentes que serão utilizados nas mais diversas aplicações (combustíveis, lubrificantes, plásticos, fertilizantes, medicamentos, tintas, tecidos, etc..).

As técnicas mais utilizadas de refino são:
I) destilação,
II) craqueamento térmico,
III) alquilação e
IV) craqueamento catalítico.
A DISTRIBUIÇÃO DO PETRÓLEO
Os produtos finais das estações e refinarias (gás natural, gás residual, GLP, gasolina, nafta, querosene, lubrificantes, resíduos pesados e outros destilados) são comercializados com as distribuidoras, que se incumbirão de oferecê-los, na sua forma original ou aditivada, ao consumidor final.

Fonte: Apostilas PETROBRAS


 A LEI DO PETRÓLEO
Em novembro de 1995 a Emenda Constitucional No 9 mudou o setor petrolífero brasileiro, permitindo que atividades, até então sob o monopólio da União, pudessem ser exercidas por outras empresas, além da Petrobras. Essa flexibilização começou a ser regulamentada pela Lei 9.478, conhecida como Lei do Petróleo. A partir de então, qualquer empresa, independentemente da origem de seu capital, pode realizar atividades de exploração, produção, transporte, refino, importação e exportação do petróleo.

A Lei 9.478 estabeleceu, ainda, que a Petrobras: permanecerá sob o controle acionário da União e vinculada ao Ministério das Minas e Energia; poderá criar subsidiárias ou se associar a outras empresas nacionais e estrangeiras, majoritária ou minoritariamente, para exercer suas atividades dentro e fora do país; deverá constituir subsidiária para operar e construir dutos, terminais marítimos e embarcações para transporte de petróleo, seus derivados e gás natural.
 
 O TRANSPORTE DE PETRÓLEO , DERIVADOS E GÁS NATURAL

No segmento de transporte, a Lei 9.478 estabelece que qualquer empresa (ou consórcio de empresas), constituída sob as leis brasileiras, com sede e administração no País, pode receber autorização da Agência Nacional do Petróleo (ANP) para construir instalações e efetuar qualquer modalidade de transporte de petróleo, seus derivados, gás natural, seja para suprimento interno ou para importação e exportação. Em 1998, em cumprimento a artigo específico da Lei do Petróleo, a Petrobras criou a Petrobras Transporte S.A. – Transpetro.

As atividades previstas para esta subisidiária incluem o transporte e armazenamento de granéis, petróleo, derivados e gás por meio de dutos, terminais ou embarcações próprias ou de terceiros; o transporte de sinais, dados, voz e imagem associados às suas atividades; e a construção e operação de novos dutos, terminais e embarcações.


OS PRINCIPAIS DERIVADOS DE PETRÓLEO E SUA UTILIZAÇÃO SÃO:

Gás ácido -  Produção de enxofre
Eteno -  Petroquímica
Dióxido de carbono -  Fluido refrigerante
Propanos especiais -  Fluido refrigerante
Propeno -  Petroquímica
Butanos especiais -  Propelentes
Gás liqüefeito de Petróleo –  Combustível doméstico
Gasolinas -  Combustível automotivo
Naftas -  Solventes
Naftas para petroquímica -  Petroquímica
Aguarrás mineral -  Solventes
Solventes de borracha -  Solventes
Hexano comercial -  Petroquímica, extração de óleos
Solventes diversos -  Solventes
Benzeno -  Petroquímica
Tolueno -  Petroquímica, solventes
Xilenos -  Petroquímica, solventes
Querosene de iluminação -  Iluminação e combustível doméstico
Querosene de aviação -  Combustível para aviões
Óleo diesel -  Combustível para ônibus, caminhões, etc.
Lubrificantes básicos -  Lubrificantes de máquinas e motores em geral
Parafinas -  Fabricação de velas, indústria de alimentos
Óleos combustíveis -  Combustíveis industriais
Resíduo aromático -  Produção de negro de fumo
Extrato aromático -  Óleo extensor de borracha e plastificante
Óleos especiais -  Usos variados
Asfaltos -  Pavimentação
Coque -  Indústria de produção de alumínio
Enxofre -  Produção de ácido sulfúrico
n- Parafinas -  Produção de detergentes biodegradáveis  

TRANSPORTE
 
Os dutos são um dos principais meios de transporte utilizado na industria petrolífera. Os dutos são
classificados  em  oleodutos  ( transporte  de  líquidos) ,  gasodutos  ( transporte  de  gases) ,  terrestres (construídos  em   terra)   ou  subm arinos  ( construídos  no  fundo  do  m ar) .  Outras  m odalidades  de transporte,    com o    o    rodoviário    e    o    ferroviário,    são    ocasionalm ente    em pregados para a transferência de Petróleo e derivados.
 
A  PETROBRÁS  dispõe  de  navios  especializados  para  o  transporte  de  Petróleo,  derivados  e  álcool, assim   com o   de   navios   m ínero- petroleiros   ( que   levam   m inério   e   trazem   Petróleo)   e   outros destinados    ao    transporte    de    produtos    quím icos.    A    capacidade    própria    de    transporte    é complementada  com  navios  fretados  de  terceiros,  m ediante  o  pagam ento  de  um  aluguel  ou  frete por carga transportada.

As operações  de  carga  e  descarga  dos  navios  são  feitas  em  term inais  m arítim os,  que  dispõem  de facilidades  para   atracação  e  sistem as  de  tubulações  e  bom bas  para   a   transferência   da   carga transportada,  bem  com o  de  tanques  para  seu  arm azenam ento.  

A  PETROBRÁS  possui  terminais para  Petróleo,  derivados  e  álcool,  cuj as  sedes  estão  localizadas  nas  cidades  de  São  Francisco  do Sul  ( SC) ,  São  Paulo  ( SP) ,  Duque  de  Caxias  ( RJ) ,  I poj uca  ( PE)  e  na  Ilha  de  Madre  de  Deus  ( BA) .
 
Nas operações de cabotagem, os navios também descarregam nos portos que possuem instalações
especializadas para este fim.
 
Dos  cam pos  de  produção  terrestres  e  m arítim os  o  Petróleo é transportado  por  oleodutos  para  as refinarias.  Quando importado,  ele  é  descarregado  nos  terminais  marítim os  e  transferido  para  as refinarias,  tam bém  através  de  oleodutos.  Depois  de  processado  nas  refinarias,  seus  derivados  são transportados  para  os  grandes  centros  consum idores  e  para  os  term inais  m arítim os,  onde  são embarcados para distribuição em todo o País. O Gás natural, por sua vez, é transferido dos campos de  produção  para  as  plantas  de  gasolina  natural,  de  onde,  depois  de  processado  para  a  retirada das  frações  pesadas,  é  enviado  aos  grandes  consum idores  industriais  e  à  rede  de  distribuição domiciliar.  A  PETROBRÁS  dispõe  de  extensa  rede  de  oleodutos  e  gasodutos  que  interligam  campos petrolíferos, terminais marítimos e terrestres, bases de distribuição, fábricas e aeroportos.
 
Os  oleodutos  e  gasodutos  são  o  m eio  m ais  seguro  e  econôm ico  para  transportar  grandes  volumes de Petróleo, derivados e Gás natural a grandes distâncias. Além disso, o sistema permite a retirada
de  circulação  de  centenas  de  cam inhões,  econom izando  combustível  e  reduzindo  o  tráfego  de veículos  pesados  nas  rodovias.  Resultado:  m elhora- se  a  circulação,  preservam - se  as  estradas  e diminui a emissão de gases tóxicos. 

MEIO AMBIENTE  
 
 Nas  fases  de  perfuração  e  produção,  os  cuidados  maiores  são  com  o  lançamento  de  efluentes  e resíduos  sólidos,  além   da  prevenção  e  do  controle  de  acidentes  nos  poços.  

No  transporte  de Petróleo  e  derivados,  a  preocupação  deve  ser  dirigida  para  a  adoção  de  medidas  preventivas  e  de controle,  para  evitar  derrames  de  óleo.  Nas  refinarias  a  implantação  de  sistemas  de  tratamento para  todos  os  efluentes  potencialmente  poluidores:  chaminés,  filtros  e  outros  dispositivos  e instalações  que   evitam a emissão de   gases,  vapores  e   poeiras  tóxicas para a   atmosfera.  

Os despejos  líquidos  devem  ser  tratados  por  processos  físico- quím icos  e  biológicos  antes  de  serem lançados  nos  rios  ou  no  m ar.  Os  resíduos  sólidos  devem  ser  reciclados  para  utilização  própria  ou venda  a  terceiros.  Os  não  reciclados  devem  ser  tratados  em  unidades  de  recuperação  de  óleo  e  de biodegradação   natural,   onde   microorganismos  do   solo   degradam   os  resíduos  sólidos.   Outros resíduos   sólidos   são  enclausurados em aterros industriais constantemente controlados e monitorados.

TERMOS UTILIZADOS NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO
 
UPSTREAM –  Exploração e produção de Petróleo e Gás Natural.
DOWNSTREAM  –  Refino  de  Petróleo,  processamento  de  Gás  Natural,  termelétricas,  engenharia  e montagem  industrial,  construção  civil,  máquinas  e  equipamentos,  oleodutos  e  gasodutos,  postos de distribuição e recarga de Gás, etc.
SUPPLY BOAT –  Suprimentos marítimos -  água, alimentos, combustíveis, etc.
ON SHORE –  Operações em terra.
OFF SHORE –  Operações no mar. 

PETRÓLEO NO MUNDO
 
Não  se  sabe  quando  despertaram  a  atenção  do  hom em ,  mas  o  fato  é que  o  Petróleo,  assim  com o  o asfalto e o betume, eram conhecidos desde os primórdios da civilização.
Nabucodonosor   usou   o   betum e   como   material   de   liga   nas   construção   dos   célebres   Jardins Suspensos  da  Babilônia.  Foi  tam bém  utilizado  para  impermeabilizar  a  Arca  de  Noé. Os  egípcios  o usaram  para  em balsam ar  os  m ortos  e  na  construção  de  pirâm ides,  enquanto  gregos  e  romanos dele lançaram mão para fins bélicos.
Só  no  século  18 ,  porém,  é  que  o  Petróleo  começou  a  ser  usado  comercialmente,  na  indústria farmacêutica   e   na   iluminação.  Como  medicamento,  serviu   de   tônico  cardíaco  e   remédio  para cálculos renais, enquanto seu uso externo combatia dores, cãibra e outras moléstias.
 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário